19 de setembro de 2008

Pausa.

Meu bem, eu vou sentir a sua falta. Não adianta fazer essa cara de assustado. Mas quem quis assim foi você. Tanto alimentou esse princípio de dúvida que se transformou na própria.
Já não sabe o que quer. E o que queria também já não te importa.
Mas a mim, me importava. Muito.


Não vou mentir pra você. Nem tudo começa quando a gente quer. As coisas que te impressionavam passaram a me impressionar. As que te irritavam passaram a me irritar. E eu comecei a sentir falta de acordar do teu lado.

Não vou mentir pra você. Amar você foi muito bom.
Me fez crescer. Como se eu fosse uma bexiga vermelha escapando da tua mão.


Isso não é uma despedida. É uma pausa em toda essa confusão. Uma pausa nesse nosso desencontro. Um suspiro para as minhas lágrimas.
É um tempo pra você me reencontrar e me soltar de um galho de árvore qualquer. Pra então, a gente acertar os ponteiros da nossa vida.

4 comentários:

Anônimo disse...

Amei.
=´/

Nanda disse...

Amei.
=´/

era eu acima. a retardada não postou o end. bjo.

Fernanda
www.nemtecontei.blogspot.com

luizayabrudi disse...

lindo!
lindo!
lindo!

luizayabrudi disse...

ah
e dúvida de cu é rola!